Carta de Arrependimento

fui raso
não conheci minha mãe
pois estremeci de medo
e não me apresentei a ela.
Passamos a vida falando sobre os gatos,
o clima, ou as façanhas do papagaio,
E nunca conversamos.
Não tive amigos
pois não permiti que meus amigos 
me tivessem
Passamos incontáveis finais de semana
rindo e celebrando,
E nunca fomos felizes.
Não tive uma vida
acordei e fiz todas as coisas que devem ser feitas
escovei os dentes e calcei os sapatos
continuei caminhando,
seguro no raso.

Regis Santos

Anúncios